sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Obras no período noturno e interdição de vias


A Companhia Águas de Joinville pede desculpas à comunidade da Rua Dona Francisca pelo eventual transtorno causado pelas obras que permanecem em andamento, mas esclarece que, para a conclusão de uma das fases de instalação do sistema de esgotamento sanitário, tornou-se imperioso o avanço dos trabalhos durante o período noturno no bairro Saguaçu.

Portanto, será necessário avançar as obras nos dias 17, 18 e 21/02 durante a noite. Os trabalhos têm autorização da Conurb e serão iniciados próximo das 20 horas e finalizados por volta da meia-noite.

As obras são indispensáveis para atender as melhorias cobradas pela comunidade local e pela sociedade joinvilense.

A Companhia agradece a compreensão de todos e pede a atenção de motoristas e pedestres ao passar por trechos em obras.


OBRAS NO PERÍODO NOTURNO:

OBRA: Implantação de rede de esgotamento sanitário.
Local: Rua Dona Francisca
Período: 17, 18 e 21 e 20/2 das 20h a meia-noite.


INTERDIÇÃO DA RUA ITAIÓPOLIS:

OBRA: Implantação de rede de esgotamento sanitário.

Local: Rua Itaiópolis entre a Av Hermann August Lepper e Rua Dona Francisca.
Período: 19 e 20/2 das 7h às 18h.

Desvio:
Os veículos que trafegam sentido centro - bairro, deverão seguir a Av. Hermann August Lepper - Alfredo Marquart - Dona Francisca.

Ao seguir pela Dona Francisca sentido Bairro - Centro, os veículos deverão fazer todo o trajeto pela Dona Francisca até a Hermann August Lepper.

Trafegando pela Dona Francisca sentido Centro - Bairro, o trajeto seguirá  até a rotatória com a Rua Iririú - Rua Padre Antonio Vieira - Beira Rio.


INTERDIÇÃO DA AVENIDA HERMANN AUGUST LEPPER

OBRA: Implantação de rede de esgotamento sanitário.
Local: Av. Hermann August Lepper entre a Rua Dona Francisca e Rua Itaiópolis.

Período: 20/2 das 14h às 20h.

Desvio:
Os veículos que trafegam na Hermann August Lepper ao chegar no cruzamento com a Rua Dona francisca deverão seguir pela Dona Francisca ou sentido Avenida José Vieira/ Max Colin.


Informações ligue: 0800 723 0300 - Central de Atendimento

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Águas de Joinville foi aos bairros perguntar como está seu trabalho

Pesquisa de satisfação mostrou números positivos, mas Companhia quer mais eficiência na distribuição de água e ampliação da rede de esgoto


Quase 100% dos joinvilenses fazem uso da água tratada pela Companhia Águas de Joinville em suas residências; 89% compreendem a importância do tratamento do esgoto antes que este seja devolvido para natureza, e mais de 90% dos joinvilenses aprovam a qualidade a água, destacando sua pureza, gosto, cor, cheiro e pressão. Esses e outros dados foram apresentados na tarde desta terça-feira (15), na sede administrativa da Águas de Joinville, resultado do estudo feito pela empresa Painel Instituto de Pesquisa. Foram ouvidas 640 pessoas entre os dias 16 de novembro e 6 de dezembro, em 14 bairros de diferentes regiões da cidade. Além dos diretores e técnicos da Companhia, a apresentação do estudo contou com a presença do prefeito Carlito Merss, do vice Ingo Butzke e do presidente da AMAE Renato Monteiro. Também assistiram a apresentação os secretários do município Márcio Cysne (Administração) e Eduardo Dalbosco (Planejamento).

Um dos dados mais interessantes constatado na pesquisa foi que o joinvilense está cada vez mais confiante na qualidade da água oferecida pela Companhia. Em um ano, o número de pessoas que declararam beber água da Águas de Joinville aumentou 21%, enquanto o de água mineral diminuiu 23,7%. Os entrevistadores pesquisaram o consumo em casas, indústrias, comércios e outras localizações. Mas, quando o estudo se direciona apenas para residências com tarifa social, o consumo é ainda maior, quase alcançando a totalidade dos entrevistados.

O principal investimento da Companhia está na área de coleta e tratamento de esgoto. São mais de R$ 180 milhões para aumentar de 14% para 52% as residências com rede coletora de esgotamento sanitário. E essa preocupação encontra reflexo na opinião pública. Dos entrevistados, 89% reforçam a relevância do tratamento de esgoto.

Somados aos investimentos no setor de abastecimento de água, são mais de R$ 220 milhões já contratados em obras por toda a cidade. Com tantas frentes de trabalho, é normal que o número de reclamações referentes a buracos feitos para execução de serviços da Companhia aumente. Comparado a 2009, os dados subiram 40%.

O índice de satisfação com o atendimento prestado pela Companhia também subiu. Comparado a 2009, o número de pessoas que consideram excelente o serviço aumentou 11,3%, subindo para 80% o índice de aprovação do atendimento.

Em 2010, o grau de satisfação no serviço de controle de qualidade da água subiu 20,7%, sendo que 75% dos entrevistados consideram o trabalho como sendo o mais importante feito pela Companhia.

O aumento na eficiência foi de 32,8% e de pessoas que consideram a Companhia uma prestadora de serviço responsável subiu mais de 35%.

Quase 100% dos clientes informaram receber a conta de água em dia e 92% considera que os dados informados na fatura são claros.

Também foi analisada no estudo a avaliação dos consumidores sobre todos os serviços prestados pela Companhia. Comparado a 2009, a satisfação dos clientes subiu 10,8%.

A pesquisa de satisfação é uma iniciativa da Companhia Águas de Joinville para conhecer a opinião da população joinvilense. Com esses números, avaliam os gestores, será possível compreender melhor as necessidades do público e assim planejar com mais eficiência as ações para melhor atender o cidadão com serviços de água e esgoto.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Economize Água

De acordo com a Organização das Nações Unidas, cada pessoa necessita de 3,3 m³/pessoa/mês (cerca de 110 litros de água por dia para atender as necessidades de consumo e higiene). No entanto, em Joinville, conforme dados da coordenação de medição e cadastro da Águas de Joinville, a média é de 142 litros por pessoa.

Gastar mais de 120 litros de água por dia é jogar dinheiro fora e desperdiçar nossos recursos naturais. Pensando nisso, a Companhia Águas de Joinville lançou, em fevereiro, a campanha para o uso racional da água 2011.

O anúncio publicado nos principais jornais da cidade e repercutido nas rádios chama a atenção do cidadão para as principais maneiras de desperdício e alerta para a consequência do uso indiscriminado da água: a sua escassez.  

video

Veja no nosso site algumas dicas de como economizar água e dinheiro - sem prejudicar a saúde e a limpeza da casa e a higiene das pessoas.

Prefeito Carlito Merss e diretores da Companhia Águas de Joinville acompanham mais uma etapa da obra do R10

Prefeito Carlito Merss e diretoria da Águas de Joinville acompanham içamento do telhado do reservatório da Rua Tupy (R10), no bairro Nova Brasília.

Nesta quarta-feira (9/02), às 14 horas, o prefeito Carlito Merss e diretores da Companhia Águas de Joinville acompanham mais uma etapa da obra do R10. Nesta fase, o telhado será levantado para fixação de mais um anel de paredes e a obra do reservatório chegará a 80% de realização do projeto.

Com a implantação do reservatório de seis milhões de litros, o abastecimento dos bairros Nova Brasília, São Marcos e Santa Catarina será ampliado beneficiando mais de 30 mil pessoas, além de liberar os reservatórios da Zona Sul para atender exclusivamente os bairros daquela região.

 
Foto. R10 com o telhado em construção em janeiro/2011.
A tecnologia usada na construção do reservatório R10, além de baixo custo operacional e facilidade na limpeza, oferece agilidade na montagem e melhor qualidade de conservação da água. O custo total da obra com a construção do reservatório, incluindo a urbanização total do acesso, com drenagem, pavimento rígido em concreto armado, postes de iluminação, plantio de grama nas laterais da via e na área do reservatório e instalação de cercas para proteção da área, além da implantação da subadutora de alimentação (que levará água da estação de tratamento do Piraí até o reservatório R10) e da rede de macrodistribuição, é de R$ 4 milhões aproximadamente.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Por dois momentos nessa terça-feira (01/02), a estação de tratamento de água (ETA) do Cubatão ficou sem fornecimento de energia elétrica e deixou de produzir a água que abastece cerca de 70% de Joinville.
Devido a tempestade em Pirabeiraba na tarde de segunda, árvores cairam sobre a fiação e desligaram por cerca de duas horas